Sobre você

Já te disse que você se cobra demais?

Talvez seja fruto desse seu desejo de ser admirado, das pessoas gostarem de você.

Ou talvez seja toda essa sua capacidade que você sabe que tem, mas que não vem usando a seu favor.

Você não é perfeito, mas busca compensar seus defeitos como consegue. Nem todo dia é um bom dia, nem todo dia dá para ser aquilo que esperam de você.

Está sempre tentando parecer seguro e estável, mas por dentro, eu sei: está inseguro e preocupado. Lembra daquela vez em que não soube se o que fez foi certo? Aquela noite fria…

Você achou que não foi uma boa idéia ter se aberto para os outros. Foi ingênuo, tolo.

Ah… como você gosta de pensar por si próprio. Você acha que não é de aceitar a opinião dos outros sem fundamento. Mas por vezes se deixa levar pela empatia, pelo tom de voz. Racional e emocional, você.

Seus sonhos não são lá muito realísticos, convenhamos. Ou você acha mesmo que vai conseguir mudar isso tudo? Não custa tentar, você diria, mas nós sabemos que custa bastante caro.

Você já não é mais o mesmo. Esses dias pensou coisas que nunca tinha pensado antes. Você, mutável.

Você, humano.

Você, igual a mim, igual a ele, igual a todos.

Afinal, onde acaba o você e onde começa o eu?

O infinito abismo que separa nossas almas é atravessado pela infinita ponte das nossas semelhanças.

Você e eu ainda temos mais duas coisas em comum: nós dois nos achamos diferentes. E nós dois estamos enganados.

Sobre você eu sei tudo, pois você sou eu – independente de quem você seja.