Parabéns por beber Coca

Coca-Cola

Aconteceu ontem, quando saí com meus amigos. Todos precisamos de lazer.

Para mim, lazer sempre significou estar com pessoas que eu gosto fazendo algo divertido. No caso, fui num bar cheio de videogames – o lugar perfeito.

Para acompanhar a jogatina, pedi uma Coca, um dos meus piores hábitos. Eu e você sabemos que beber um líquido preto, ácido, cheio de açúcar e gás, não se traduz como uma alimentação saudável. Foi então que um desconhecido, visivelmente alcoolizado, ao me ver com a icônica garrafinha, me perguntou:

– Desculpe me intrometer, mas, por que você está tomando Coca? Todos os seus amigos estão bebendo!

– Bom, eu gosto de Coca. – respondi, um pouco intrigado.

– Puxa! Parabéns, cara! – disse, sorrindo, o simpático rapaz.

E essa foi a primeira vez na minha vida inteira que eu fui parabenizado por beber Coca. Podia imaginar que era uma ironia, mas a sinceridade era aparente no rosto do amigo: ele estava realmente admirado com o fato de eu beber Coca ao invés de pinga.

Aquele jovem me olhou como se eu tivesse vindo de outro mundo. Um mundo onde a decisão de se entorpecer não é influenciada por pressões sociais, por exigências de desinibição ou pela necessidade de aceitação em um grupo. Um mundo onde a juventude não é sobre estar fora do seu próprio controle. Um mundo onde não te ensinam que você é fraco e que, portanto, escapar de si mesmo é a solução.

Tomei um gole de Coca, olhei para ele com calma e perguntei:

– Por que você bebe?

A essa pergunta, existem muitas respostas prontas: bebo porque estou triste, bebo para me soltar, para ter coragem, para conseguir dançar, para esquecer os meus problemas – como se beber fosse mesmo a resposta para todas essas dificuldades. Mas, dessa vez, foi diferente.

O garoto me olhou fundo nos olhos e parou por alguns segundos, perplexo. Abriu um sorriso e disse:

– Não sei.

Tomou outro gole e virou de volta pro balcão.

Ele realmente não sabia.

 

diegoquinteiro

Meu nome é Diego Moreno Quinteiro, tenho 29 e moro em São Paulo, cidade que amodeio. Gosto de escrever, de colocar vírgulas e de não ligar pra ortografia – então fiz um blog.