AAAAAAHHHHHH!

AAAAAAHHHHHH!!!

Vamos combinar: todo brasileiro adulto está cientes de que se cometer crimes poder ir pra cadeia. E na cadeia você passa anos se fodendo, sendo molestado, dormindo no chão mijado, cagando em público e comendo gororoba.

Mas isso não é o pior castigo, decididamente. Ir para a cadeia é uma merda, mas muitos não tem esse privilégio: cometer um crime, violento ou não, é frequentemente motivo para você ser assassinado pela polícia. Ladrão não pode vacilar – diria o poeta.

Os brasileiros adultos sabem que se cometerem crimes estão fodidos – ou mortos. E que ninguém estará nem aí para eles, vão querer que eles se explodam.

Mesmo sabendo desse risco, brasileiros adultos continuam cometendo crimes. Muitos crimes. Crime pra caralho!

O que está acontecendo então?

Está acontecendo que os fatos estão contradizendo esse papo furado que nos venderam de que a punição é a resposta para a violência.

A informação sobre isso hoje é tão farta que, em pleno século XXI acreditar que a punição resolve a violência é ser impermeável aos fatos. Não acredita? Vai pesquisar, por que eu não vou ficar fazendo pesquisa pra você, seu preguiçoso.

Vamos parar de falar que punição resolve violência?

Vamos, já?

Obrigado. =)

Agora, defender a redução da maioridade penal como solução para violência é igual colocar uma venda nos olhos, tampar os ouvidos e gritar AAAAAAHHHHHH!!!

Dos 54 países diminuíram a maioridade penal na nossa história recente, nenhum (!) assistiu diminuição na criminalidade. Nenhum. Vamos mudar nossa constituição para criar uma regra que comprovadamente falhou 54 vezes e não foi efetiva nenhuma vez na história.

Isso é uma idéia burra, vingativa, mesquinha. Que vergonha você apoiar isso, hein? QUE VERGONHA!

Se quisermos diminuir a violência, não tem jeito, temos que responder a pergunta: por que as pessoas são violentas?

Por que vocês acham? Degladiem-se nos comentários.

Mas sem violência!

 

diegoquinteiro

Meu nome é Diego Moreno Quinteiro, tenho 29 e moro em São Paulo, cidade que amodeio. Gosto de escrever, de colocar vírgulas e de não ligar pra ortografia – então fiz um blog.